Skip to main content








sunrise-1756274_1920

Qual é o Seu Lugar no Mundo Pós Covid?

Por Leila Navarro

Qual é o seu lugar no mundo? Muitas das pessoas a quem já fiz essa pergunta demoraram um pouco para responder. Algumas coçaram a cabeça, outras puseram a mão no queixo, outras olharam para cima, como se tentassem juntar palavras para uma grande frase, e depois de toda essa encenação, diziam: Vim viver a vida ou acho que ainda não sei o que tenho direito a viver!

Mas, quando faço a pergunta: Qual seu lugar no mundo pós Covid? Daí a coisa piora muito! Eu não sei o que vai ser pós Covid e ninguém também tem certeza de mais nada! A pessoa se fixa tanto na palavra Covid e esquece do Qual é o seu lugar no mundo? Como assim?

Eu tinha quase 40 anos e estava numa fase como está que estamos vivendo, numa “pandemia pessoal”. Não sabia claramente o que queria, o que podia, o que deveria fazer da minha vida pessoal e profissional naquele momento. Uma situação de verdadeiro desnorteio! E aí você fica numa busca incessante, mas não consegue encontrar nada, porque o verdadeiro encontro – primeiramente – é consigo mesmo! E nesta busca desembestada própria de uma sagitariana empreendedora, acabei entrando em um curso de Física Quântica para o autodesenvolvimento (tudo a ver), afinal, ali estava a saída, pensei! Neste mundo VUCA (volátil, incerto, complexo e ambíguo), a Física Quântica deve ter a resposta!

Fiz este curso durante um ano com encontros semanais. O grupo teve uma interação tão especial que parecia até uma terapia em grupo. No final do curso, para celebrar fizemos um amigo secreto, aonde o presente teria o significado do que o amigo achava que representava a evolução do presenteado. Quando abri o meu presente, curiosa pelo que outro percebeu de meu processo, era uma bússola. Confesso que fiquei decepcionada! Não consegui entender o significado daquilo, pois eu não era velejadora, montanhista, não praticava campismo e muito menos me aventurava em alguma selva. Nunca pensei em ir em um Safári ou participar de um Rally. Então falei: Não entendi! Uma bússola? Para quê eu preciso disso?

E ele respondeu: Você é uma desNORTEada e se não souber seu NORTE não vai encontrar nenhum LUGAR! Me lembrei da Alice no país das maravilhas, que estava numa encruzilhada, onde tinha 4 possibilidades e ela perguntou ao gato que ficava na árvore: Que caminho eu devo percorrer?

– O gato disse: para onde vai?
– Ela respondeu: Não sei!
– Ele então fala: para quem não sabe onde vai, qualquer caminho serve!

Conclusão…. foi o melhor presente que ganhei na minha vida! Achei meu Norte e nunca mais me perdi de mim mesmo. Nunca mais me perdi em nenhuma das situações que me aparecem na vida, por mais absurdas que seja, assim como agora, neste momento período de contingência. Você já entendeu o que este artigo tem a ver com você? Você já compreendeu a importância de saber qual seu lugar no mundo agora no pós covid, porque se você não sabe, já estamos no Pós Covid, concorda? Antes do Covid que não é! Você reparou que se está valorizando mais o sentido de família, o amor, a paz, a confiança e a felicidade neste momento? O empreendedorismo, o empoderamento e etc?

Antes de comentar sobre isso, quero falar sobre Viktor Frankl que foi um neuropsiquiatra austríaco que passou por 4 campos de concentração nazistas de 1942 até o fim da segunda guerra mundial em 1945. Ele ficava impressionado de ver que muitos homens de estatura saudável e forte vinham a sucumbir e falecer nos campos de concentração, enquanto homens franzinos de aparência frágeis e débeis resistiram até o final. E para ele só havia uma explicação: ou o vazio existencial ou o sentido da vida. QUEM TEM UM POR QUÊ, ENFRENTA QUALQUER COMO. No seu livro “A Busca de Sentido”, relata suas experiências no campo de concentração e como teve que aprender a encontrar sentido em todas as formas de existência (mesmo as mais sórdidas) e, daí, uma razão para continuar vivendo. Contava: Nós que vivemos nos campos de concentração podemos lembrar de homens que andavam pelos alojamentos confortando a outros, dando o seu último pedaço de pão. Eles devem ter sido poucos em número, mas ofereceram prova suficiente que tudo pode ser tirado do homem, menos uma coisa: a última das liberdades humanas – escolher sua atitude em qualquer circunstância, escolher o próprio caminho.

Concordo com ele, as escolhas são determinantes em nossas vidas! Mas e você, como estão suas escolhas neste momento? Toda essa conversa me faz lembrar do filme “Os 33”. O enredo é baseado em fatos reais e conta a história de 33 mineiros que ficaram soterrados em uma Mina no Chile a 700 metros de profundidade, a 40 graus, durante 69 dias. Eles resolveram que seriam resgatados e para isto se preparam para tal acontecimento. Racionaram comida, água e ar para dar tempo para o resgate. Você está preparado para o Pós Covid? O que você tem que aprender? O que e como se adaptar? Neste momento temos que nos remeter a Darwin que foi bem claro e direto: “ Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças”. Darwin que me perdoe mas eu acrescentaria VELOCIDADE nesta frase.

Eu adoro cinema e vou ter que usar mais uma referência nesse texto para encurtar o caminho, outro clássico baseado em acontecimentos reais. Você já assistiu “O impossível”? Trama onde uma família (pai, mãe e 3 filhos) vão realizar um sonho em resort paradisíaco na Tailândia e se encontrar com um Tsunami. Vale a pena assistir! Se assistirmos com os olhos de acordo com o que estamos experenciando neste momento, creio que você terá muitos insights da realidade que estamos vivendo.

E aí lhe pergunto: O que significa a sua família para você e a família do outro? Você percebe agora claramente o que é amor incondicional? Compaixão? Interdependência? Desapego? O que realmente importa? A partir do momento em que se adquire consciência e presença do que estamos vivendo, se aceita e enfrenta a realidade, escolhemos o que importa e temos claro o nosso papel em tudo isso. Assumimos então, o nosso lugar no mundo. As ocorrências e contingências da vida nos ajuda e nos capacita a recalcular a rota quantas vezes for necessário para nos adaptarmos e sobrevivermos as circunstâncias.

Com o advento da pandemia, a terra precisou parar um pouco para que a alma pudesse se juntar ao corpo. Foi e está sendo um grande momento de reavaliação constante dos aprendizados e dos valores humanos. Novamente, não temos certeza de mais nada, mas de uma coisa eu sei: Se você parou de acreditar, de confiar, você provavelmente está morto e não sabe disso! A máscara é para ser usada na boca com o propósito de proteger você e o outro. Mas, tem gente que está usando a máscara como tampão nos olhos. Se sentindo desanimados e angustiados demais para enxergar novas possibilidades. Sabe o que eu faço? Escrevi no espelho do meu banheiro: Não mantenha na sua mente o que não quer ver no seu mundo! Isso me mantém uma aliada ferrenha, uma conspiradora ativista na busca da “vacina”- uso a palavra vacina metaforicamente – não sou cientista, mas estou no aqui e no Agora.

E por favor continue a sonhar! Só isto nos dá a certeza que queremos sobreviver, acreditar e estar vivos. Quais são os sonhos que ainda deseja realizar? É muito importante anotar em algum lugar aqueles sonhos que você já conquistou ao longo da vida. São nesses momentos conturbados, que você precisa parar e analisar tudo aquilo que já conquistou e assim perceber o tamanho do seu potencial. Como diz o escritor e psiquiatra Augusto Cury: Morrer é parar de sonhar, não adianta o coração bater, o cérebro funcionar se você parou de sonhar. Reconheça! Você tem dúvidas sobre a importância de sonhar? Não resista, acho que sonhar é uma pré vacina.

E assim, sigo insistindo na pergunta: Qual é o seu lugar no mundo Pós Covid? Hoje temos mais fácil essa resposta: “Dentro de casa e se sair só com máscara”, isso virou um mantra mundial. Parece brincadeira, mas não é! Em todo o mundo, as pessoas estão presas em suas casas vivendo com suas famílias as atividades diárias e cotidianas domésticas, estudando e trabalhando. A nossa vida pessoal e profissional de repente se misturam de uma forma sem precedentes, que ficamos desnorteados. Está sendo preciso um certo tempo de acomodação até encontrarmos nosso Norte novamente. E pode parecer chavão, mas o propósito, o sentido, a ressignificação são o que pode nos levar com adaptação e velocidade ao nosso novo lugar no mundo.

Como encontrar o seu propósito? O seu Norte ? O seu sentido de vida? Como eu já mencionei, encontrar o propósito de vida requer uma alta dose de autoconhecimento. É preciso mergulhar em si e descobrir seus valores, talentos, ansiedades e tudo aquilo que pode ser transformado para servir ao outro e ao mundo, dando a você um objetivo maior para existir. Para ajudar você a encontrar o seu propósito, separei o passo a passo abaixo. Acompanhe:

– O que você faz bem?
Pare e pense: o que você faz de melhor? Qual a atividade que você realiza que é capaz de arrancar elogios? Como você ajuda as pessoas com isso e o que pode fazer para melhorar essa habilidade e ajudar mais pessoas? Esse pode ser o caminho para encontrar o seu propósito de vida.

– O que você ama fazer?
O que você ama fazer na vida? Cuidar de crianças? Estar com a família? Ensinar o que sabe? Orientar outras pessoas? Cuidar de um jardim? Pense no que você realmente ama fazer e faria todos os dias de sua vida. Não importante se com isso você vai impactar uma, duas ou milhares de pessoas. Apenas ouça a sua voz interior e identifique o que ama fazer.

– O que o mundo precisa?
Se você não tem uma grande habilidade e ainda não sabe o que ama fazer, talvez a saída seja olhar para o seu exterior, para as pessoas ao seu redor no mundo. O que elas precisam? Alimento? Afeto?Instruções? Atenção?Pense em como você pode orientá-las e ajudá-las com pequenas ações. Comece doando o seu tempo, por menor que seja. Se você conseguir manter uma periodicidade, verá que pode fazer muito mais, por você e pelos outros.

– O que pode ser pago?
O que você pode fazer, aliando o que ama, o que sabe fazer de melhor, com o que o mundo precisa agora e que pode ser pago? Se você encontrar a resposta para todas essas perguntas, assim como eu, você pode viver de propósito, ajudando outras pessoas a desenvolverem o seu máximo potencial. Sua contribuição será enorme, tanto para si mesmo quanto para toda a sociedade. Acredite, se eu consegui e outras pessoas conseguem, você também é capaz!

Mesmo diante de todas essas informações, caso você ainda tenha dificuldade de encontrar o seu propósito, não se preocupe. O caminho se faz ao caminhar e caminhar já é um propósito em vida.

Comente também via Facebook!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Spam protection by WP Captcha-Free