Skip to main content








startup-1993900_960_720

Mente startup para você dar guinadas na vida

Por Leila Navarro

No mundo empresarial é comum ouvir o termo “startup”. A definição dessa palavra representa, a grosso modo, “empresas jovens, inovadoras e com alto potencial de crescimento”. E por ser justamente assim é que vale um paralelo com o que estamos tratando. Para dar boas e bem-sucedidas viradas de jogo na vida já não basta pensar fora da caixa. É imprescindível desenvolvermos uma “mente startup”, seja você um adolescente de 20 ou um jovem maduro de 70 anos.

Como palestrante motivacional sou frequentemente convidada por universidades para dar uma injeção de ânimo nessa moçada que está se preparando para um mercado altamente exigente e inovador. Numa ocasião recente, eu me deparei com alunos da Unicamp – Universidade de Campinas – SP. Vibro com esses convites! Eles são um termômetro para a reinvenção da minha carreira e do impacto dos temas que abordo.

Quando cheguei à universidade e vi aquela moçada bonita aguardando a minha palestra rejuvenesci! Mas a boa impressão logo deu lugar à indignação. Quando conversei com alguns grupos espalhados pelo campus, antes do início do evento, detectei que a atmosfera comum entre eles era de certo nervosismo, irritação e depressão! Uau! Aqueles caras e garotas no vigor da juventude e a vida inteira pela frente, quando tratavam sobre perspectivas de futuro, carreira e autorrealização, apresentavam muito menos vivacidade e ânimo que alguns idosos que conheci em uma casa de repouso. Cadê as mentes startups que deveriam estar ali? Tive dificuldade para encontrar e na minha busca perguntei para alguns universitários quais eram seus sonhos.

– Não sei ao certo! Mas, o que eu preciso mesmo é terminar a faculdade e dar sorte para conseguir trabalhar na área – disse uma aluna do curso de Arquitetura.

– Sinceramente eu nem consigo pensar direito sobre isso. Estou fazendo um curso que não é bem o que eu gostaria, mas nem posso pensar na possibilidade de falar sobre isso com meus pais – falou o jovem da Engenharia Química.

– Olha, eu estou muito mal! Concorri a uma vaga para o estágio da minha vida e estou péssimo porque não consegui – revelou o carinha da Engenharia de Alimentos.

A Unicamp conta com aproximadamente 34 mil alunos matriculados em 66 cursos de graduação e 153 programas de pós-graduação. Com esse universo de possibilidades, essas são as perspectivas desses três jovens? Eles estão depressivos porque não sabem se a sorte vai pender em favor deles para ter um emprego? Ainda tem jovem fazendo uma graduação que não se identificou, para não “desperdiçar” o que cursou e não ter confronto com os pais? E, ainda o outro está deprê por que não conseguiu o estágio da vida? Afinal, em que mundo eles estão vivendo?

A incerteza sobre o futuro a longo prazo é característica dos jovens em tempos de crise. Fazer planos tem se tornado algo fora do alcance da grande maioria das pessoas. Mas, é também na crise que surgem as grandes oportunidades para quem está aberto para a vida. Pessoas com mentalidade do século passado até avançam em algumas áreas, mas as chances de serem infelizes é muito grande.

A perspectiva de vida do homem aumentou. O mundo científico afirma que grande parte da humanidade vai viver saudável física e intelectualmente até 120 anos. Estou me preparando para ser uma dessas pessoas e continuo fazendo estágio até hoje. Qual é a perspectiva de se ter o “estágio da vida” aos 20 se eles vão viver até os 120? A própria vida é um grande estágio! É possível transformar o meio em que vive em um celeiro de conhecimento e oportunidades empreendedoras, basta ampliar a visão e fazer voos panorâmicos.

Passar por uma universidade hoje é importante, só que não é mais garantia de uma carreira promissora. As oportunidades estão em toda parte e o que se requer hoje são “mentes startups” – pessoas que são protagonistas de seus próprios sonhos e têm consciência de que também devem ser provedoras, incentivadoras e patrocinadores de suas iniciativas e sonhos. Além disso, tem a capacidade de mudar a rota rapidamente quando necessário.

Tem sido cada vez mais comum a aplicação do Design Thinking no dia a dia dos profissionais e até para questões pessoais. Essa é uma ferramenta para empreendedores que buscam revolucionar a maneira de encontrar soluções inovadoras e criativas focadas em necessidades reais. Isso mostra que não tempo permanecer submerso em devaneios, medos, ideias arcaicas, modelos ultrapassados de gestão de vida, de carreira e dos negócios. Quem não avança na velocidade dos acontecimentos corre o risco de nadar, nadar, nadar e morrer na praia.

  Buscapé, um dos maiores cases de sucesso de startups no Brasil surgiu das mentes antenadas, inovadoras e curiosas de três estudantes de Engenharia da Computação e um de Administração – eles transformaram uma dificuldade em negócio extraordinariamente lucrativo que hoje vale milhões de dólares e está espalhado em diversos países do mundo.

Quantas e quantas vezes você peregrinou por vários sites pesquisando preços e comparando produtos? Hoje em dia isso é bem fácil, mas há cerca de 20 anos para fazer pesquisas sobre um produto era preciso gastar a sola do sapato para encontrar a melhor oferta e, depois, com as lojas virtuais, a peregrinação apenas mudou de ambiente. Foi nesse cenário que um jovem estudante queria comprar uma impressora pela internet e não conseguia localizar lojas especializadas, informações de preço, muito menos condições para fazer isso de forma rápida.

Em conversa com mais três amigos, eles decidiram achar uma solução: o projeto começou a ser desenvolvido em 1998 com apenas uma boa ideia na cabeça, o investimento em três computadores pessoais, um baixo valor em dinheiro, muita coragem e ousadia para vencer os obstáculos. Com isso, eles revolucionaram o mercado e tornaram-se exemplos para que outros brasileiros se arriscassem no empreendedorismo.

O Buscapé é um dos maiores casos de sucesso entre as startups brasileiras e, por esse motivo, faz também a sua parte: investe constantemente em outras startups que tenham bons projetos! Isso monstra que existe espaço para boas ideias, além de pessoas e organizações interessadas em fazer investimentos.

Okey! Tudo bem se você não tem interesse ou talvez não tenha perfil de idealizador de projetos. Mesmo assim há espaço para aqueles que desejam dar boas guinadas na vida e virar o jogo para realizar seus sonhos. Mas uma coisa é certa, ter mente startup, ou seja, ser antenado, curioso, inovador e ousado são atributos indispensáveis para fluir nesse mundo de incertezas. Paixão, disposição e dedicação também fazem parte do pacote. Seja qual for o seu sonho, encare-o como um importante empreendimento. Empreender é nunca estar acomodado. Pense nisto!

Conectada às Redes

Comente também via Facebook!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Spam protection by WP Captcha-Free