Skip to main content








Compliance Inteligência

Seu comprometimento profissional está na berlinda?

Aqueles que se consideram 100% inabaláveis com as influências sociais, muito provavelmente ameaçarão descartar a leitura deste artigo. O desafio é partir para o próximo parágrafo e entender como o compliance pode evitar enganos no relacionamento com um gestor ou toda a empresa, favorecendo a transparência e a ética

Pergunta dura para o título de um artigo. Será mesmo? Naturalmente, de imediato, a resposta de cada leitor pode ser um “seguro não”. Se houver alguém ao lado, a indignação pode ser traduzida com gestos e comentários de reprovação. Digo isso porque tem sido cada vez mais frequente o ser humano responder no piloto automático, sem observar, perceber e analisar seja qual for o questionamento. Essa é uma característica do mundo em franca evolução, com informações cada vez mais velozes, difíceis até de processar. Mas, vamos lá! Desarme-se e se dê a chance de uma reflexão interessante. O nosso assunto aqui é compliance e, querendo ou não, você pode estar envolvido nisso.

O termo compliance tem sido muito usado na mídia quando o assunto é relacionado a corrupção, porém, as empresas têm contratado o meu trabalho como palestrante justamente para apresentar aos colaboradores a necessidade de implantação de um processo que alinhe diretos e deveres aos regimentos internos e externos da organização. O termo tem origem no verbo em inglês to comply, que significa agir de acordo com uma regra, uma instrução interna. Diferente do que pode se pensar, não é um método apenas de regulação e vigilância. Mais que isso, é um processo de segurança mútua entre os mais diferentes níveis de relacionamento em uma organização.

Há mais de 10 anos, o tema confiança faz parte do meu repertório como palestrante. Tenho dois livros sobre o tema: “Confiança – o diferencial de um líder” e “Confiança – a chave para o sucesso pessoal e empresarial”. No segundo, algumas questões importantes são apontadas na contracapa do livro. Você avalia o quanto a desconfiança pode prejudicar seu desenvolvimento profissional? Você faz ideia de quanto custa para a empresa manter sistemas para controlar os funcionários, por não os considerar confiáveis? Agora com o compliance o discurso da confiabilidade torna-se assegurado com o conjunto de ações disciplinares com a finalidade de que as normas sejam cumpridas, afinal estamos falando de um “diálogo aberto” em todos os níveis de relacionamento organizacional baseado em um conjunto de regras definidos previamente.

Um programa de compliance efetivo não se preocupa apenas em criar regras. Ele prevê a criação de práticas éticas cotidianas, com mecanismos de implementação e monitoramento contínuos. É o aperfeiçoamento do que chamo dos 7Cs que caracterizam a condição adequada em um processo de confiança: competência profissional, consciência, clareza, cumprimento, coerência, consistência e coragem. Nesse processo, se uma pessoa rompe a regra todos perdem. Na contramão do vício contraproducente instaurado em muitas organizações, o lema da 3M, empresa na lista das mais éticas do Brasil pela quarta vez consecutiva, é claro: “Não existe o jeito de fazer negócio a não ser do jeito certo”. O que se pode considerar é que a adoção do compliance é a forma de assumir a transparência e, além da atividade final das empresas, trabalha a responsabilidade social.

Quando eu comecei a falar sobre confiança, muita gente questionou o que esse tema teria a ver com motivação e automotivação. A aceitação não foi imediata, até porque as pessoas tinham a ideia de que motivação seria algo mais leve, tranquilo, zen, enquanto confiança estaria associada a coisas mais sérias, densas. Agora trago no meu repertório, além da confiança, o compliance. Durante as palestras que tenho feito sobre o tema, apresento e reforço a importância do respeitar o outro e as organizações como a si mesmo e, além disso, trabalho mais profundamente as questões relacionadas aos 7Cs para resgate da confiança e incentivo para a criação de um ambiente corporativo mais íntegro, ético e transparente. O compliance é um caminho sem volta e, sem dúvida, garante a cada profissional maior confiança para crescer, se desenvolver e caminhar alinhado aos propósitos da organização.

Conectada às Redes

Comente também via Facebook!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Spam protection by WP Captcha-Free