Skip to main content








Você tem tempo para reclamar?

Pense em todas as grandes pessoas da história, em todas aquelas pessoas de grande valor histórico que figuram nas enciclopédias. Você consegue calcular quantas delas passaram a vida queixando-se por tudo?
Confúcio, Ciro, o grande, Péricles, Alexandre Magno, Júlio César, Jesus de Nazaré, Joana D’Arc, Leonardo da Vinci, Galileu, Voltaire, George Washington, Winston Churchill, Pablo Picasso, Alexandre Fleming, Gandhi, Madre Teresa de Calcutá entre tantos outros.
Você acha possível, espontaneamente, alguém imaginar algumas dessas pessoas queixando-se amargamente, criticando reclamando, buscando culpados?

 *clique sobre a imagem para ampliá-la

Hehehe… É impossível imaginar essa cena simplesmente porque essas pessoas não tinham tempo para queixar-se. Estavam demasiadamente ocupados construindo seu destino e fazendo a historia. Agora é a sua vez, construa seu destino, um destino digno de nossa espécie humana. Para isto, deixe de queixar-se, criticar, reclamar e buscar o culpado para tudo e comece, de uma vez por todas, a caminhar com energia e decisão. E se você quiser ver alguns exemplos de como podemos, às vezes, ser viciados neste negativismo que não nos leva a nada, assista algumas conversas que tive com um velho amigo, o Tadinho, personagem de meu livro “Super Você”. Vale a pena rever suas histórias.   Lembre-se: de nada adianta grandes conversas se não há, dentro de você, a vontade e a disposição para mudar. A mudança depende de você!

Comente também via Facebook!

Comentários

3 comentários em “Você tem tempo para reclamar?

  1. Oi Leila!!
    é isso ai, abaixo as pessoas que só fazem reclamar nessa vida e querem que todos tenham pena dela.!
    vamos gastar toda essa energia em coisas boas, em novos estudos, em um outro emprego etc..

    Beeiijos

    Patricia M

  2. Oi Leila….
    Eu li o livro que você me enviou…. primeiro, muito obrigada pelo presente. O livro é maravilhoso!
    Uma questão me chamou bastante a atenção. No capítulo Felicidade, consta que 50% das características da personalidade são hereditárias, mas que podem ser trabalhadas. Eu percebo isto na minha família, especialmente da parte do meu pai, parece que é “pecado” ser feliz, dar boas risadas. Ele vive dizendo que não devemos “nos abrir tanto”, isso quando estamos demonstrando nossas alegrias através de risos e alegrias… e em geral ele não gosta muito de festas. Sabe que as vezes eu me pego com os mesmos sintomas, tem épocas que não gosto de comemorações. Acho isso um saco, pois me gosto muito mais quando estou animada, feliz, de bem com a vida. Estou mesmo precisando rever meus conceitos.
    Comecei a fazer meditação e iniciarei Yoga para tentar ser mais serena, mas a disciplina é que é complicada, para fazer meditação tenho que acordar cedo, pois gosto quando está bastante silêncio…. e tem dias que não tenho conseguido acordar cedo pois trabalho a tarde e a noite.
    Deixando o lado tadinho pra lá, o livro me ajudou muito. Com certeza posso aprender a ser uma pessoa mais feliz e deixar estas hereditariedades para lá.
    Um grande abraço e muito obrigada!

  3. Concordo. Não imagino essas pessoas reclamando de nada, principalmente Jesus. Sou vendedora e enxergo muitos obstaculos. Vou mudar a minha postura e ser mais otimista e não reclamar. Um abraço e te acho o máximo. Gostaria muito de ter a oportunidade de ver uma palestra sua. Obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Spam protection by WP Captcha-Free