Skip to main content








Dia dos Namorados e a Resiliência

A pessoa que você ama terminou com você no dia dos namorados?
Ao responder à convocação do chefe, a suspeita de uma promoção foi bruscamente interrompida com uma demissão?
Você já enfrentou por horas a fio uma imensa fila e, quando chegou a sua vez, o guichê fechou?
Você contou com diversas pessoas para um planejamento e, na hora de colocar em prática, os parceiros desistiram?

Mesmo assim, agradeça! Você tem motivos para agradecer quando passa a entender que são justamente as frustrações que nos dão a oportunidade de treinar e testar nossa resiliência.
Aliás, você já ouviu falar em resiliência? Se você não sabe do que se trata, pense em um bambu. O que acontece quando a gente tenta dobrá-lo? Ele enverga, mas não quebra e, quando a gente para de forçar, ele volta à sua posição original, certo? Isso é resiliência, uma palavra que vem da física e que de uns tempos para cá começou a ser usada também na área do comportamento humano.
Sabe aquela pessoa que passa por uma grande crise, perda, decepção, situação difícil, mas não perde a fibra nem a vontade de lutar? Essa é a pessoa que a psicologia chama de resiliente. Então, se alguém disser que você é resiliente, não se preocupe. Não é ofensa, viu? É um mega elogio!
Mas, talvez você questione o por que de eu estar falando sobre essas coisas em um post sobre dia dos namorados. O motivo é justificável! Quando perdemos, seja em que circunstância for, a maioria das pessoas tende a se considerar o último ser humano da face da terra. Mas, ao tratarmos dos atributos de uma pessoa resiliente e pensarmos que essa atitude pode ser aprendida, o nosso posicionamento muda. A resiliência é uma qualidade essencial para a vida tanto profissional como pessoal, para as pessoas que desejam fazer sucesso e querem ser felizes. Uma pessoa resiliente tem mais capacidade de enfrentar mudanças, de enfrentar a diversidade, de superar os obstáculos.
Um dos meus principais interesses de estudo é a felicidade e, por isso, pesquiso há anos a resiliência, a capacidade de recuperação quando algo ruim acontece, como diminuir o tempo dessa recuperação sem avarias, sem prejuízo, sem traumas e mantermos uma atitude de renovação, coragem, criatividade e agradecimento. Com base nesses estudos, eu criei um método que contempla sete passos para pessoas e empresas que estão enfrentando mudanças, diversidades, perdas, fracassos, reajustes. Se tiver interesse em conhecer detalhes, mande-me e-mail (leila@leilanavarro.com.br) colocando no assunto “Seminário – Como manter uma carreira em ascensão e uma vida feliz? Como ajudar as pessoas a serem poderosas e resilientes?”
A pessoa resiliente é dura na queda. Ela enfrenta crises, sofre perdas, encara fracassos e continua firme. Ela não desiste dos seus objetivos. Parece até que, quanto mais problemas ela enfrenta, mais forte fica.
Muitas pessoas bem-sucedidas nos negócios ou na profissão têm essa qualidade.
E você, diante das questões apontadas, pode se dizer uma pessoa resiliente?

Comente também via Facebook!

Comentários

15 comentários em “Dia dos Namorados e a Resiliência

  1. Oii Leila
    eu me considero uma pessoa resiliente, descobri tempos desses em uma palestra que tive na faculdade é por sinal, amei esse tema… interessante de ser estudado.!

    Beeeiijoos

    Patricia Moreira – Natal/RN

  2. Olá Leila,
    Acompanho de longe o seu trabalho, por enquanto, rs
    Eu me considerava resiliente, mas tomei tanta paulada da vida que acredito que a envergadura esteja se fixando. Como faço pra sair dessa ??

  3. Leila , mais qual o e-mail ? Gostaria de saber detalhes sobre o método que você criou .

    Um grande abraço, e você é ótima 😉

  4. Leila ,
    Excelente seu post sobre o Dia dos namorados e a Resiliência , sua maneira de escrever é muito agradável e inteligente.
    Parabéns !!
    Sonia Eulálio
    Blog da Iza

  5. olá leila amei este vídeo, isso serve de experiencia para as mulheres que se apaixonam fácilmente, bobas!

  6. na verdade, eu me condicionei a esquecer rápido e prosseguir, mas falta esse foco, em não perder o objetivo.

  7. Não sei ainda se sou resiliente, mas sinto o peso de várias derrotas, mas acredito que não fui criada para viver só daquilo que não deu certo.

  8. Ola Leila, Boa Tarde,
    Gostaria de saber sobre sua agenda de seminários/cursos. Moro em Fortaleza mas costumo ir a São Paulo e quero tentar nesse ano, que tem sido um ano muito difícil pra mim, participar de algum evento. NADA MUDA SE EU NÃO MUDAR, então quero começar logo.
    Obrigado pelo retorno.
    Abraço, Rosely

  9. Adorei os comentários! Temos sempre que dar a volta por cima! Marcio, faça dessas pauladas um aprendizado. Lembre-se que ninguém tem o poder de te deixar pra baixo e somente você pode controlar as suas atitudes: nada muda, se você não mudar! Confie em você!
    Wellington, envie um e-mail para leila@leilanavarro.com.br e, Rosely, todos os eventos abertos que faço são passados nas minhas redes sociais e no meu portal. Fica ligada que eu e minha equipe estamos sempre divulgando.
    Obrigada pelas mensagens!
    Um beijo para todos. Leila.

  10. Olá Leila me considero uma pessoa resiliente, desde dos meus 6 anos passo por fases dificeis mas que nenhuma delas me abalaram pois sempre procurei olhar o melhor de cada situaçao , perdas de pessoas muito queridas,sem muita estabilidade por motivo de sempre querer o novo e cada vez mais me falam que nunca irei conseguir uma estabilidade … emfim acredito sempre em tudo que sinto dentro de meu coraçao e vou atras mesmo nao dando muito certo .
    Já vendi desde : roupas,sapatos,cartoes de credito,seg de vida,ponto comercial,analista de exames de HIV -AFIP,já tive restaurante,ja tive uma linda loja de bolsas,fui para area de vendas de automiveis zero – hyundai ameiiiiiiiiiiiiii mas tenho um filhinho e tive que sair …e hj trabalho com assessoria na area comercial é um novo projeto e me sinto feliz mesmo sem essas estabilidades….
    Leila minha irmã é sua fã e com ela te conheci e virei mais uma fã … beijos

  11. Que sería de nós sem os obstaculos que nos apresenta a vida?
    Todas as situaçoes, emoçoes, encontros, reencontros,… enfim tudo o que nos acontece na vida é uma oportunidade de aprendizagem e de recomeço. As situaçoes dificeis nos fazem mais fortes e nos abrem a porta do exito e da realizaçao pessoa. Mas eu nao falo do exito que querem desesperadamente vender-nos, mas daquilo que realmente importa para voce. AQuilo que faz com que voce se encontre como pessoa, como mulher, como ser humano… Nós nao necessitamos de todas essas necessidades criadas pela sociedade de consumo na qual estamos inseridos. O que realmente necesitamos é descobrir nossa missao aqui e seguir nosso caminho. Creo e sinto que isso é o que nos aporta o sentido vital, que tanto buscamos e que tem a ver com a nossa maior busca de toda pessoa humana conciente o inconcientemente que é a FELICIDADE. E essa, no meu ponto de vista, tem a ver com nossa luta pessoal para chegar a ser a melhor versao de nós mesmos. Um abraço carinhoso a todos voces Quenia Bilhalva

  12. Leila achei o maximo sua materia.tenho certeza que sou resiliente e teimosa.dura na queda mesmo.as vezes dou umas baqueadas,mas me levanto mais forte como o bambu. quero assistir palestra sua com certeza;irei gostar muito.abraço c/respeito pelo seu trabalho.lucia mara

  13. leila, gostaria de receber as 10 frases que voce comentou em seu ultimo programa em 04.12.11 na rádio mundial.
    grato e muita saúde para voce em seus novos projetos

    francisco mello

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Spam protection by WP Captcha-Free