Skip to main content








Inclusão e transformação

Na Índia você não dá um passo sem encontrar um templo, por menor que seja.
E não se termina uma conversa sem comentar sobre hinduísmo como exemplo, ou como mito, aprendizado, referência, como ritual ou como espiritual, enfim, a religião está muito presente e se mistura no todo (política, educação, saúde, alimentação, hábitos, costumes, vestimentas, profissões, negócios, casamentos, etc…).

Esta imagem na foto comigo é Ganesha, para mim o deus mais simpático do hinduísmo.
Ganesha é o deus mais popular entre os 330 milhões de deuses do hinduísmo na Índia. Filho de Shiva e incorporado em um elefante, é considerado o deus da fortuna, da fartura, da prosperidade e da alegria. Todo hinduísta tem uma imagem de Ganesha na porta de entrada de sua casa e de seu comércio.
Sempre que você ver uma estatua do Ganesha pode procurar um ratinho por perto, porque rato é seu veiculo. Todos os deuses no hinduísmo tem atributos, mitologia , veiculo , historias e aprendizado.
O que podemos aprender com Ganesha?
Ganesha tem os olhos pequeninos para demonstrar seu foco e concentração, duas orelhas grandes para escutar mais e uma boca pequena para falar pouco e assim poder aprender muito e armazenar todo seu conhecimento e sabedoria em uma grande barriga.
E você me pergunta: Como pode um elefante ter como veiculo um ratinho?
Isto é mitologia. Para o hinduísmo o rato é considerado um animal rápido, que vive se movimentando de um lado a outro muitas vezes sem saber aonde vai, como muitos de nós, e ter o mito de um elefante sobre um rato significa que Ganesha nos ajuda a dominar esta velocidade, este ir e vir muitas vezes sem sentido, este stress do dia a dia.
Mas, ao mesmo tempo, no hinduísmo o rato simboliza um animal que ultrapassa qualquer obstáculo e supera todos os desafios. Ganesha ter o rato como veiculo também vai nos trazer esta possibilidade de ultrapassar obstáculos e superar desafios.
Acho que Ganesha tem atributos bem atuais. Trouxe um Ganesha para cada um de meus três filhos e por via das dúvidas, pus um Ganesha na entrada de minha casa e outro no meu escritório, hehehe…
Ainda na Índia assisti uma palestra sobre liderança e como lhes dizia o hinduísmo não podia deixar de aparecer, pois a mitologia que envolve a cultura indiana é fascinante e cheia de ensinamentos. O palestrante então comenta os quatro atributos do deus Vishnu, que é tido como o preservador do Universo como sendo os atributos de um líder sustentável no séc. XXI.
Pois Vishnu apresenta quatro braços, como você vê na foto ao lado, tendo em cada mão um lótus (o conhecimento que sustenta a pureza da mente), um disco (que é uma arma para a destruição da ignorância e dos apegos), uma concha (que é como uma corneta para chamar e reunir seus liderados) e um bastão (o poder do conhecimento, o poder do tempo, para abrir e mostrar o caminho). E daí você já pode imaginar por onde foi o palestrante com aula de liderança …..
Esta cultura é uma riqueza de metáforas, mitologias e simbologias. É um presente para qualquer palestrante e professor, pois os conceitos e os ensinamentos ficam mais claros, ricos, mais poéticos e mágicos… os ouvintes e alunos se enternecem e agradecem.
Ao mesmo tempo em que aqui na Índia você não dá um passo sem encontrar com o hinduísmo, você não dá um passo sem encontrar com a pobreza, e muitas vezes mais que a pobreza, a miséria.
Não me dei o direito de tirar fotos que mostrassem esta miséria, achei uma afronta à dignidade humana dessas pessoas porque não iria agregar nada e poderia denegrir, pois qualquer descrição que eu possa fazer sobre a Índia, sinto que me faltam palavras para poder aclarar sua realidade tão paradoxal. E fotos só mostram partes do todo, o que tende a nos levar a percepções e conclusões precipitadas e equivocadas.
Apesar de tanta pobreza e miséria a expressão no rosto dos indianos é serena, a emoção que percebo é um misto de tristeza, alegria e ternura. Eles não têm medo nem vergonha de pedir com humildade e insistência, às vezes isto pode incomodar algumas pessoas, mas se percebemos o nível de aceitação desta cultura e desta casta de pobreza não nos molestaríamos, pois não há raiva ou rancor, só necessidade.
A violência não faz parte de todo este cenário e se pode andar tranquilamente pelas ruas.
Acho que isto tem a ver com o sistema de castas, pois o “dalites” que são a quinta casta e que são os mais pobres sabem que se cumprem bem seu carma na próxima encarnação podem vir numa casta superior.
E daí começamos a entender uma cultura de predestinação e aceitação incondicional, pois “é como é, e como é, é perfeito”.
E você pode estar se perguntando e o que eu tenho que ver com isso?
Pois a Índia é o segundo país do mundo em população com 1 bilhão e 200 milhões de pessoas, com mais de 1600 dialetos, dois idiomas oficiais inglês e híndi, sistema de castas, aonde um quarto da população (300 milhões) tem uma renda per capita igual a europeia e 900 milhões estão na pobreza, embora tenha mais milionários que os Estados Unidos. O analfabetismo é um agravante e as crianças não são obrigadas a ir à escola, temos como eles dizem liberdade, somos um país livre. Ou um desmando total, me pergunto. A saúde pública, eu não sei, mas visto pelo saneamento básico se tem uma ideia,… nada boa, me sentia em muitos momentos em um grande lixão visitando ao lado um grande monumento, muitas vezes patrimônio da humanidade.
O tráfego é uma loucura, são buzinas, motos, carros, toc toc (triciclo motorizado), ônibus, gente, bicicleta, triciclos, vacas, camelos, elefantes, etc… e muito mais buzinas, é indescritível o caos do trânsito, mas nas três vezes que lá fui e ficando quase um mês em cada vez, não vi um único acidente, um verdadeiro milagre. Os crematórios a céu aberto e os pedaços de ossos sendo jogados no Rio Ganges juntamente com pessoas se banhado, lavando roupas e outras bebendo d’água sagrada.
Com tudo isso e muito mais, somado há uma grande corrupção, a Índia quer em 2025 ser um país super poderoso, livre de corrupção, entrepreneur e eficiente em energia. A sociedade mais conectada através da tecnologia mais adiantada do mundo. Ser a terceira economia depois dos USA e China.
Para isso ela sabe que tem que mudar de estrutura, mentalidade e comportamento.
Como sacar milhões de pessoas da pobreza em uma geração? Pois este é o grande desafio que a Índia se colocou.
Para isso está desenhando um caminho aonde o sistema político será de mando e controle com honestidade e inclusão, visando uma estabilidade social, com uma imprensa livre vigilante que assegure um gradativo declínio da corrupção.
E por aqui termino porque para mim só há uma saída a INCLUSÃO. E quando um país como a Índia, com seu sistema milenar de castas, começa a repensar a exclusão, confirma minha crença no ser humano. Como dizia Vicente Ferrer – autor e temática que aprofundo em meu livro Talento à Prova de Crise vamos transformar a sociedade em humanidade.

Comente também via Facebook!

Comentários

9 comentários em “Inclusão e transformação

  1. Andar Conectado,
    Plugado,
    On Line,
    Estar Ligado.
    A Mente Revigorada,
    Atualizada,
    Diferenciada,
    Recalchutada,
    Motivada,
    Uma Mente Viva!
    André Nunes
    Gostaria de aprender com vc , estou entrando nesta area e preciso de ajuda!Entre em meu blog

  2. Olá Leila,

    obrigada por compartilhar suas experiências em um país tão disitinto e tão rico em cultura, pretendo um dia poder conhecer a Índia!!!

    bjo
    Debora Simões

  3. Vou te Presentear com 10 Lições sobre a Prosperidade
    Primeira lição – Aceitar que ‘investir’ não é o que você
    pensou a vida toda de forma simples ‘colocar dinheiro em
    algo para ter algum retorno depois’
    Segunda lição – Aprender que nem tudo que aos teus
    olhos parece ser bom investimento, de fato o será!

    Terceira lição – Para que algo vale a pena ser investido não
    pode jamais consumir sua Saúde, sua Segurança ou sua Paz
    de Espiríto
    Quarta lição – Não precisa ter dinheiro sobrando para
    Investir de verdade
    Quinta Lição – Não tenha medo de correr riscos, mas
    aprenda ao máximo minimizar todos os riscos de prejuízo
    Sexta lição – Os maiores investimentos NÃO são feitos
    utilizando ‘dinheiro’
    Sétima Lição – Investir é transformar suas riquezas para que
    elas trabalham por você e não o inverso
    Oitava Lição – Adquira Conhecimento sempre para executar
    o que tem de ser feito, Procrastinação é o câncer da
    prosperidade e do investimento
    Nona Lição – Preste Atenção em cada Lição e Reflita na sua
    Vida em Cada passo que der!
    Décima Lição – Exclusivo para Pessoas Diferenciadas: Invista
    em algo que o retorno seja seguro e certo, ainda que
    demore um certo tempo, mas que você consiga ter
    domínio de não por em risco sua segurança financeira,
    saúde, paz de espirito. Não gaste com luxos, e nem com
    supérfluos, compre apenas o essencial! Não aumente seu
    custo de vida conforme você passa a ganhar mais de suas
    fontes de renda. Diversifique suas fontes de renda, crie
    renda passiva recorrente, crie Assinaturas, Promova
    conteúdo que Agregue Valor, Ajuda às pessoas
    solucionando as dores delas. As pessoas compram o que
    resolve ‘dores’. E, aprenda este segredo, o Prazer vende
    mais que a Dor. Promova prazer no processo de uso do seu
    serviço, ou produto, e o Êxito do Sucesso será apenas
    questão de tempo! -> Pensamentos, Lições e Reflexões
    escritas por Márcio Roberto CEO da plataforma
    https://trafegoparasite.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Spam protection by WP Captcha-Free