Artigos

Responsabilidade Social e Filantropia

Muitas pessoas acreditam que responsabilidade social e filantropia são a mesma coisa, mas não são. E para entender quais as diferenças entre essas duas práticas nada melhor do que conceituar cada uma delas.

A responsabilidade social está direcionada à maneira com que os negócios de uma empresa são conduzidos em relação a torná-la participante do desenvolvimento social da comunidade em que está situada ou município, estado ou do país.

Uma empresa preocupada em contribuir para o desenvolvimento do país e para a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos brasileiros, leva em consideração, em suas atividades e planejamentos estratégicos, as sugestões e interesses não somente dos proprietários e acionistas da empresa, mas do público interno e externo, ou seja, funcionários, clientes, fornecedores, prestadores de serviços, governo, meio ambiente, organizações não governamentais, comunidade local, etc.

As ações de responsabilidade social de uma empresa são baseadas em princípios e valores éticos adotados por ela. Seu discurso e ação andam lado a lado. Além de adotar programas voltados a entidades assistenciais, a empresa reconhece e valoriza seus colaboradores, não é conivente com práticas de superfaturamento, propinas, sonegação de impostos, estabelece relações éticas e sadias com todos os seus públicos, dentro e fora do ambiente organizacional.

Desenvolver políticas e práticas nesse contexto para os negócios é hoje uma das maiores vantagens competitivas que uma empresa pode ter, pois os resultados são altamente benéficos para a própria empresa, para o consumidor e para a sociedade. A empresa passa a criar uma cultura interna de responsabilidade social, conta com o respeito e participação de colaboradores, parceiros e demais envolvidos em seu negócio, bem como com a lealdade por parte do consumidor em relação aos seus produtos e serviços.

Já a filantropia está voltada à ações de amor ao próximo, fora do âmbito das empresas. O principal beneficiário é a comunidade, através de ações como trabalhos voluntários, doações individuais, bingos e sorteios beneficientes, venda de rifas, campanhas de arrecadação de alimentos, roupas, livros, entre outras coisas, junto a organizações não-governamentais, associações de amigos de bairro, conselhos comunitários, hospitais, asilos, creches, entre outras entidades e instituições.

Por Leila Navarro, palestrante.

"Leila Navarro é autora de vários livros e uma das palestrantes mais requisitadas do Brasil, ministrando palestras em todo o Brasil e na Europa."

Navegue pelo Portal da palestrante Leila Navarro

Palavras-chave desse artigo:

(Escolha uma palavra-chave e veja os artigos relacionados a ela na coluna ao lado direito)

Filantropia


Outros artigos

Nossos clientes