Skip to main content








Contemplação e memória

Adoro quando caio do cavalo, hehehe… pois é uma grande oportunidade de aprender.
Estar em um país aonde a cultura é totalmente diferente da nossa é um grande exercício para qualquer pessoa.
Costumo me perceber mais consciente e regredida nestas ocasiões. Mais consciente no sentido de sair da zona de conforto, de sair do automático, pois afinal aqui na Ásia (Índia, Nepal e Butão) a mão é como na Inglaterra, os carros vão pela esquerda, só isso já bastaria para me deixar bem atenta ao atravessar e caminhar pelas ruas, etc…
Mas aqui o idioma e a escrita são totalmente diferentes, quase sânscritos, hehehe… muitas poucas placas em inglês, então os avisos nas ruas, as propagandas, etc.. não as entendo, o que além de eu ter que estar mais alerta, fico regredida, pareço uma criança que ainda não sabe ler, pergunto tudo e muitas vezes continuo sem entender nada, hehehe…
Por exemplo: a comida. É fantástico! Por mais que pergunte, é sempre uma surpresa quando o garçom traz o prato, nunca chega o que pensei que pedi, hehehe… e quando se prova nem sempre identifico. Então, saboreio e aproveito essa nova experiência, em todos os sentidos, inclusive o gustativo.
Como sou veterana, aprendi que quando se viaja para outras culturas é importante deixar as criticas e as comparações de lado, se abrir ao novo como uma criança para poder tirar o maior proveito da viagem.
Me considero uma expert nisso, uma exploradora, uma buscadora, uma pesquisadora, uma poderosa, hehehe…
Então ai vai o tombo:
Estava em um restaurante e chega a entrada, um pão indiano e duas pequenas porções de patê, uma vermelha e outra verde. Como aqui tudo é muito picante, provei primeiro o verde e com cuidado… achei um sabor agradável, e com sede de aprender perguntei ao garçom:- O que é isso ?
E ele respondeu:- Ervilha.
Eu adoro ervilha, mas não tinha identificado, provei novamente e ahhhhhhhhhhhh!!! E R V I L H A, me senti em casa , que delícia, eram ervilhas, simplesmente ervilhas, me senti na mesa com minha mãe, hehehe… me veio um flash da minha infância, minha mãe dizendo:- Come, é gostoso!!! hum!!!

O que aconteceu? Como o paladar da mesma porção mudou?
Porque gostei mais na segunda vez que na primeira? O que havia de diferente?

Já me aconteceu uma outra vez algo parecido. Estava no Japão provando um arroz com peixe, delicioso, quando o nosso instrutor revela que aquele peixe delicioso era “enguia”. Imediatamente mudou o gosto da comida, não consegui mais comer, ficou horrível e insuportável… como pode?
Pois eu respondo:- Jamais eu comeria cobra ou lesma, e se não comeria nenhuma das duas sozinhas que dirá juntas, pois enguia para mim é a soma das duas, hehehe…

Mas como explicar isso? Como em questão de segundos pode mudar o paladar de uma mesma porção?

Memória emocional, memória afetiva, memória gustativa, memórias…

Nascemos uma folha em branco, somos nesse momento apsicológicos, ahistóricos, abiologicos, aculturais, mas no momento seguinte já começamos a criar uma história de acordo com nossa etnia, gênero, cultura, valores, etc… dependendo do ambiente aonde nascemos e vivemos.

Portanto queridos amigos para sermos neutros, para exercermos o “não julgar”, para estarmos realmente abertos a aprender, a vivenciar novas experiências precisamos estar muito atentos, muito alertas e plenamente conscientes.

Precisamos aprender a nos desapegar de nossas memórias emocionais, precisamos aprender a legitimar o outro como um legítimo outro e cada momento como único e presente. Em meu entendimento este é o caminho da contemplação.

Por isso se é verdade que existe varias encarnações como se acredita por aqui, Deus zera nossa memória antes de reencarnarmos senão limitaríamos totalmente a oportunidade de aprendermos e evoluirmos espiritualmente em nossas novas vidas, hehehe… .

Comecei a exercitar a contemplação, simplesmente estar, usufruir, sem concluir, sem julgar, sem comparar.
Não é fácil, é um aprendizado, é um desafio.
É manter-se alerta.
É uma pratica de auto regulação.
Que tal desafiar-se e fazer parte dos que exercitam o “não julgar”?

Comente também via Facebook!

Comentários

6 comentários em “Contemplação e memória

  1. Estou bem alinhada com seu tema, exercitando o não julgar, como uma das minhas necessarias superações de 2011! A proposito estou lendo “A vida não precisa ser tão complicada” e estou adorando! Obrigada por compartilhar! bjs Sandra
    http://projetando pessoas.blogspot.com//
    PS:adoraria receber seus comentarios sobre o meu blog! desde já obrigada

  2. “não julgar”…precisamos realmente aprender e a olhar o lado bom das pessoas, pois assim é mais fácil conviver com todos e em todos os lugares…Admiro seu trabalho Leila..Parabéns

  3. Poderosaaa como sempre, hein? Lindo passeio!Amada, realmente não é facil exercitar o “não julgar”, pq qdo menos esperamos estamos lá: julgando uma pessoa, uma ação social, um comercial, até mesmo um sorriso. Coisa feia,né? Se a gente julgasse menos, e corresse mais atrás dos nossos sonhos,com certeza seríamos mais felizes. Esse ano de 2011 – QUERO JULGAR MENOS E REALIZAR MAIS SONHOS! Beijokas Lindonaaaa!!

  4. Olá querida Leila, estava buscando-a na internet para lhe dar os parabens,por sua competencia, profissionalismo e auto astral, (e põe auto nisso rs….),sou do dep.de marketing da mirai motors Toyota, e gostaria muito de poder ter uma grande oportunidade de tê-la conosco,vamos ver o que consigo, querida que vc possa continuar a enfluenciar a vida de muitos profissionais do mercado com seu trabalho espetacular! Grande abraço Cristiane Frare – Dep.Marketing Mirai Motors(Marília)

  5. what is up with “hehehe”? You look fantastic! So happy to see your face again. Almost 2 years. I enjoyed my trip to India as well. Cried at the Tahj Mahal. Loved the Temples and some foods, adored the body massages and the beautiful colors. People were kind and skifull.
    Best sales people I’ve ever met in my life.
    Say hello sometime.
    Love you,
    Clebia

  6. Leila querida!!!
    Sou sua fã há bilênios!!! rs,… Tive a aoportunidade de assistir uma de suas primeiras apresentações antes de ser tão famosa!! Naquele dia pensei: “esta mulher é um fenômeno”, vai arrasar no mercado machista! E depois, lá na frente, comecei a acompanhar pela mídia todo este seu estrondoroso e belíssimo sucesso!!! Parabéns!!! Posso dizer q “sempre fui sua fã”…rs….mesmo antes deste seu apogeu maravilhoso! O q quero comentar agora agora é sobre esta incrível informação q vc descreveu: “Deus zera nossa memória para que possamos nos atentar ao novo”!! Q lindo!!! Na adolescência (hj tenho 44…rs..), parei de tentar entender pq não sabemos sobre a vida de luz…Achei q era desnecessário gastar energia na busca desta informação pq já estava posto q não saberíamos mesmo…só após a morte…o jeito era entender meu/nosso propósito aqui e como alcançar o auto-desenvolvimento. Fim. Porém, sua explicação é aclaradora!! Magnífica mesmo!! Adorei e vou replicá-la, citando a fonte, é claro!!! Adoro vc, admiro demais sua história de vida e força que nos ilumina (nós, os mortais)!!! eheheh MInha irmã, sagitariana como vc, tb é razão para eu gostar taaaaaaannnnnnnto desta energia e alto astral das pessoas deste signo! rs…Parabéns novamente e mais sabedoria e sucesso ainda pra ti! Sua fã: Cláudia Cezar
    Ps. não me lembro se assisti sua apresentação na toque de areia…mas foi bem no início e eles informaram q vc estava começando…se eu pudesse ter feito uma aposta, naquela época, ou se fossem papéis da bolsa de valores…rs…, hj eu teria uma bolada, sim??!! rs… bjs querida!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Spam protection by WP Captcha-Free