Artigos

Epidemias Comportamentais Contemporâneas

Doenças e vacinas! Irk!!! Eu não quero saber disso na minha vida... E certamente você também não!

Epa! Já tem uns apressadinhos por aí que devem ter iniciado uma crítica mental: esse não é um assunto atraente para se discutir em um artigo motivacional ou de autodesenvolvimento. Outros já devem ter anunciado em voz alta:

- Se a Leila não quer saber de doença por que começa um artigo falando sobre isso?

Okey! Vou explicar logo para você curtir a leitura sem preocupação, mas com muita atenção. Vamos lá! Desvie a sua atenção dos males como Ebola, Chikungunya. Tudo bem que, atualmente, ninguém está livre de se contaminar ou ver de perto essas epidemias da modernidade. E não importa em qual País ou região deste Planeta você faz parte, que religião ou profissão você milita, a sua condição social... Chegamos num tempo em que a humanidade está vulnerável e se não estiver atenta perecerá.

Estou sempre atenta aos acontecimentos ao meu redor e no mundo. Observo que existem doenças mais graves que as patologias físicas, aquelas que enfraquecem o corpo. As doenças emocionais, provenientes de comportamentos inadequados que as pessoas têm com os outros e até consigo mesma são igualmente perniciosas e preocupantes.

Cientistas têm se empenhado para descobrir vacinas múltiplas, que combatem epidemias, mas, como uma estudiosa comportamental observo que a humanidade precisa de uma vacina especial para a era moderna. O seu antídoto é extremamente eficaz, capaz de exterminar males devastadores. Seu nome é CONSCIÊNCIA.

Embora as epidemias assustem, a realidade mundial seja nebulosa, o Papa Francisco me inspira. Em dezembro de 2014, o sacerdote apresentou à Cúria Romana um discurso tremendamente corajoso. Refletindo sobre esse pronunciamento, enxerguei uma realidade social e no mundo dos negócios que precisa urgentemente de uma conversão de valores, uma volta para o que é realmente relevante na vida de cada um de nós.

Então decidi investir tempo, inspiração e conhecimento para falar sobre comportamentos que vêm tomando conta das pessoas no século XXI e criei um e-book intitulado Epidemias Comportamentais Contemporâneas. Nele estão reunidas 11 dicas + super toque com diagnóstico e tratamento para virar o jogo na sua vida. Essas epidemias comportamentais já têm vacina para a sua total erradicação, mas depende de cada um de nós.

Entre as 11 doenças comportamentais que destado no e-book, a primeira delas é o sentir-se imortal ou indispensável. Pessoas acometidas dos sintomas da imortalidade se sentem ”superiores a todos” e não “a serviço de todos”. Os efeitos dessa epidemia são bem inconvenientes e tem truncado muitos relacionamentos e negócios.

Para combater o mal da imortalidade e do sentir-se indispensável o antídoto certeiro abrange quatro importantes componentes: a autocrítica, a reflexão, a autoanalise e, ainda, um mais moderno e bastante eficaz, o autocoaching, que consiste na atitude de se fazer perguntas sempre, pois quem não se atualiza se torna enfermo. Se você identifica sintomas dessa doença na sua vida, incorpore os antídotos sugeridos.

Por Leila Navarro, palestrante.

"Leila Navarro é autora de vários livros e uma das palestrantes mais requisitadas do Brasil, ministrando palestras em todo o Brasil e na Europa."

Navegue pelo Portal da palestrante Leila Navarro

Palavras-chave desse artigo:

(Escolha uma palavra-chave e veja os artigos relacionados a ela na coluna ao lado direito)




Outros artigos

Nossos clientes